Rafael Alexandre Ortiz Soares é Artista Plastico e atua como Ilustrador para livros, blogs, fanzines e afins. Natural de Manaus, Amazonas. Nasceu em Março de 1986. Adora música, livros, HQs e futebol americano.

Dragões de Onnos surgiu no natal de 2001, depois de eu ter ganho e lido toda a coleção de O Senhor dos Anéis, antes mesmo de o segundo filme chegar ao cinema… Dragões e seres mágicos nunca mais despovoaram minha mente. Escrevi o primeiro capítulo da saga de forma curiosa: de trás pra frente. O que viria a ser mais uma trilogia foi escrita do último capítulo para o primeiro. De fato, escritas mesmo só os dois primeiros (ou dois últimos, na cronologia interna da história) pois o que eu incio aqui é justamente o primero capítulo de toda a trama.

Tal romance, Dragões de Onnos – Em Busca de Dráconos de 2001, ganhou um premio literário na escola em que cursava o ensino médio. Modesto, mas significativo por ter dado impulso pra continuar a escrever. O segundo, Dragões de Onnos – Invasão no Vale Élfico não obteve o mesmo sucesso que o primeiro, ficando em 3º no segundo ano do concurso. A história não era ruim, mas como ela veio pra complementar a primeira, era quase essencial que se conhecesse a obra anterior, coisa que os jurados, todos novos, não tinham feito… Fazer o qu^? Desanimar é que não era. O terceiro ato não saiu. Não por preguiça, muito menos por desânimo, mas por que outra obra começou a crescer e tomar forma na minha mente e acabei deixando Dragões de Onnos de lado. O Centro começou a ser escrito por volta de 2004, foi finalizado e hoje encontra-se publicado pela Bookess.

Dragões de Onnos volta e meia permeava meus pensamentos, pois tenho apenas seus originais impressos: preciso redigita-los e até de certa forma reformula-los! Quando os escrevi, não tinha a carga que tenho hoje… Depois de ler vários livros e concluir um, ao olhar os velhos originais vejo um estilo indefinido de narrativa e um tom infantil no diálogo dos personagens. Natural, era a minha PRIMEIRA incursão no mundo das letras. Não tenho vergonha do resultado depois de tanto tempo, mas gostaria de dar cara nova à série.

Eis que o terceiro capítulo voltou a tona de forma totalmente inusitada. Desisti de faze-lo em livro e começar uma História em Quadrinhos. Um desafio e tanto, mas gosto do que faço e imagens são poderosas nesses casos, tanto quanto uma boa narrativa. Então, Dragões de Onnos – A Guerra Fraterna deixa minha mente e se materializa em formato de webcomic. Espero que curtam, acompanhem, como um seriado de TV, uma novela ou algo do genero. Espero também poder causar essa empolgação.

Obrigado por me acompanhar.

—–

Revista Babel em uma matéria sobre o autor:

http://www.revistababel.com.br/os-dragoes-que-sobreviveram-ao-tempo/